Histórico Fecea

No dia 07 de junho de 1959, foi constituída uma Comissão Permanente para a criação da Instituição de Ensino Superior do município, composta pelos seguintes membros: Jorge Andriguetto, como presidente, Adriano Corrêa, como secretário, Izidoro Luiz Cerávolo, como tesoureiro. Uma das primeiras medidas dessa Comissão foi encaminhar um memorial* ao deputado da região, residente em Apucarana, o industrial Jorge Amim Maia.

Em 30 de junho, foi apresentado à Comissão, pelo tesoureiro Dr. Izidoro Luiz Cerávolo, um anteprojeto a ser enviado ao Deputado Jorge Amim Maia sobre a criação da Faculdade de Ciências Econômicas. A 5 de julho, foi apresentado pelo Secretário Adriano Corrêa ofício também dirigido ao Deputado.

No dia 13 de julho do mesmo ano, numa das salas do antigo fórum de Apucarana, situado na Praça Rui Barbosa, os membros da comissão entregaram ao deputado Jorge Maia todos os documentos necessários para a criação da FECEA. Foi ele quem conseguiu do governador Moysés Lupion e do seu secretário de Educação e Cultura, Nivon Weigert, o Decreto nº 26.298, sancionado às 17:00 horas do dia 17 de novembro de 1959, nos despachos do governador no Palácio Iguaçu. Nascia juridicamente a Faculdade Estadual de Ciências Econômicas da cidade de Apucarana.

Em 20 de novembro foi nomeado, pelo governador Lupion, o Juiz Jorge Andriguetto para primeiro Diretor da Faculdade, que, em 17 de março de 1960, viajou juntamente com o secretário Adriano Corrêa para o Rio de Janeiro, então Distrito Federal. Lá foram pleitear, junto ao Ministério da Educação e Cultura, o processo de autorização de funcionamento da Faculdade.

Em 14 abril de 1960, visitaram Apucarana, convidados pela União dos Estudantes de Apucarana, os alunos da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Paraná.

Houve uma sessão solene no salão nobre do antigo Fórum da Praça Rui Barbosa, presidida pelo Juiz Diretor da Faculdade de Ciências Econômicas de Apucarana, Jorge Andriguetto. Quem ali esteve presente ouviu a palestra do então acadêmico de Economia e Engenharia, Dr. Arthur Miranda Ramos. No dia seguinte, foi realizada outra sessão no Centro de Debates de Apucarana, nos salões do Clube 28 de Janeiro, onde proferiu sua palestra o acadêmico Adail Sprenger Passos, sobre o tema “Economia Política”.

Com o evento, a Comissão arrecadou um total de Cr$ 95.000,00, para fazer face às despesas com a criação da Faculdade.

A Faculdade obteve autorização para funcionamento a 22 de junho de 1960 e a 05 de julho do mesmo ano publicou-se, no Diário Oficial da União, o Decreto do Presidente da República nº 48.376, Juscelino Kubitschek de Oliveira, autorizando que a FECEA iniciasse suas atividades.

No dia 20 do mês de setembro de 1960, no salão do Colégio Estadual Nilo Cairo, com a presença de autoridades civis, militares e religiosas e grande número de populares, realizou-se a sessão solene de instalação da Faculdade de Ciências Econômicas de Apucarana.

Estavam presentes o Dr. Colombino Grassano, Secretário da Educação e Cultura, que na oportunidade representava o governador Moysés Lupion, o Deputado Jorge Amim Maia, o professor José Alexandre de Moura Negrini, Diretor do Departamento de Educação, o Professor Moacir Fantini, Superintendente do Ensino Superior do Estado, representantes de entidades de classe e vereadores. Durante a sessão, o Prof. Moacir Fantini participou aos presentes que a Faculdade estava em condições legais de funcionar pelo Decreto nº 48.376, e que já poderia ser instalada. Assinaram a ata de instalação 93 pessoas, entre público e autoridades.

Em 2 de fevereiro de 1961 foram empossados os primeiros professores da Faculdade para aquele ano letivo:

Dr. Jorge Andriguetto - Instituições de Direito

Dr. Yaroslau Sessak - Complementos de Matemática

Dr. Antonio Luiz de Souza Rocha - Economia Política

Dr. Carlos Alberto Lacombe - Ciência da Administração

Professor Adriano Corrêa - Contabilidade Geral

No dia 16 de fevereiro teve início o Vestibular da Faculdade com prova escrita e prova oral. Em 18 de março de 1961, realizou-se a aula inaugural do primeiro ano de funcionamento da Faculdade, no salão nobre do Colégio Estadual Nilo Cairo. A aula foi ministrada pelo Professor Moacir Fantini que discorreu sobre o tema “A função das Faculdades de Ciências Econômicas perante a realidade brasileira”.

Em 9 de maio de 1961, o governador Ney Braga e o seu Secretário de Educação e Cultura Mário Braga Ramos nomeavam Jorge Andriguetto, Carlos Alberto Lacombe, Yaroslau Sessak, Adriano Corrêa e Ivan Martins Sanches para o conselho Técnico e Administrativo da Faculdade Estadual de Ciências Econômicas.

A 7 de abril de 1965, pela Portaria nº 1.404, Adriano Corrêa era designado para exercer o cargo de Diretor da Faculdade. Em 1972, iniciou sua gestão Humberto Queiroz (72/74), seguido por José Brasil Camargo (74/79), Valdir Marin (79/80), Joel Mira Sabóia (80/86), Vitório Fornazzieri (86/90), Ruy Barbosa (90/94), Benedito Cândido da Silva (94/2001). Desde então, quem dirige a Faculdade é o Professor Vanderley Ceranto.


Reprodução do memorial:

“Exmº. Sr. Jorge Amim Maia

D.D.Deputado Estadual

Os abaixo-assinados, pais e alunos, estes representando a maioria dos estudantes de Apucarana, notadamente entre aqueles que concluíram os Cursos Técnico de Contabilidade ou “Científico”, aspiram a criação, na cidade, de uma Faculdade de Ciências Econômicas, entidade de ensino de grau superior, onde possam continuar seus estudos, visando a aquisição de maior cultura e aprimoramento de seus conhecimentos científicos e técnicos.

Havendo, como há na realidade, grande número de alunos interessados em atingir etapa mais elevada nos estudos, com especialidade no setor técnico-econômico, a criação de uma Faculdade de Ciências Econômicas, aqui em Apucarana, viria, sem dúvida, preencher uma lacuna, dar solução prática e imediata a assunto de grande relevância, não só dos interessados, como dos pais e da própria cidade, pois, com isso, evitar-se-ia o êxodo de interessados para outras cidades, com gastos necessários e evasão de renda do próprio Município.

A cidade Apucarana, com uma população urbana ao redor de 50.000 habitantes, situada em posição privilegiada, sendo, como é, centro de irradiação rodo-ferroviário da vasta região norte paranaense, com uma economia sólida, dotada de clima excelente, está fadada a ser, no futuro próximo, uma das mais importantes cidades do Estado. Mas, a par do seu progresso material, que a todos admira, Apucarana precisa e deve crescer também culturalmente e, para isso, a primeira providência é criar estabilidade de ensino.

Assim, contando a cidade com uma equipe de Professores experimentados, capaz de satisfazer às exigências do funcionamento da Faculdade de Ciências Econômicas, a sua criação e instalação é uma necessidade inadiável, sentida por todos, aspiração de todos os apucaranaenses e que deve ser tornada realidade dentro do menor prazo possível.

A V.E.Exª, pois, como intérprete legítimo dos anseios do povo de Apucarana, dirige este apelo e conta com o seu decidido e valioso apoio, à consecução desse importante desideratum.

Apucarana, junho 1959.”